Postagem em destaque

Nova Criação

Samantha Fox Criada para o bloco Surdos e mundos para o carnaval de 2017.

domingo, 27 de junho de 2010

Cantinho do professor


Criei uma nova página especialmente para dicas para o professor que está em busca de novidades para seus alunos. Nada muito elaborado algumas tempestades de idéias como sempre fiz.


Dicas:
1- Elisabeth Cunha e seu fantoches para falar da dengue.
2- Como iniciar um debate sobre racismo no Brasil.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Vídeo do desafio artístico de Maio



O tema foi Alice no país das Maravilhas. Podíamos criar livremente. Muitos fizeram em papel machê, paper clay, colagens, pintura. Esta comunidade que é uma delícia de participar no orkut porque já nos conhecemos de outro grupo e funciona mesmo. No final a ChrisTeixeira faz a edição das fotos do trabalho. O bom desta história que o desafio é conosco mesmo e vamos criando mês a mês algo novo, sem falar na ótima interação que temos com todos participantes.
Caso queira participar do grupo é só contactar a Crhis no orkut. Esta comunidade só entra quem vai participar mesmo. Mas é ótima! Quem quer aprender  fazer personagens com papel machê vai se esbaldar com um monte de explicações que temos por lá.
Um abraço!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Cora

















Junho está me trazendo novas possibilidades de aprender com os materiais. Na feitura (será que existe esta palavra?) sei lá... ela representa bem o que eu quero dizer: fazendo Cora, permiti-me parar de brigar com a massa. Como havia sobrado bastante dos cachepots, resolvi recobrir a caixa de mdf com ela para dar este resultado mais rústico, pois me inspirei na frase de Cora Coralina "Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores."



















Deu este resultado de uma casa de paredes rústicas, mas recoberta de muitas cores e flores. Não seria esta a mensagem da escritora, que soube tão bem transformar seu cotidiano simplório de doceira através da palavra? Não é isto uma arte de viver?

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Mais sobre o Guignol e algumas surpresas

PageRank
bijoux

Em busca do Guignol do RJ
Acho legal quando estou pesquisando um assunto, vou puxando o fio e me deparo com informações que me deixam completamente surpreendida.
Pois é, deparei-me com um álbum de fotos da Prefeitura do RJ, da Secretaria de Cultura,mostrava fotos de alguns espetáculos de marionetes feitos para a reinauguração de alguns  Teatros de Guignol  em bairros como Tijuca e no Meier, como também o da Quinta da Boa Vista.























Encontrei estas informações:
"Com o advento da República, o Prefeito Pereira Passos, transformou a capital do Brasil, na Belle Époque carioca. Houve assim, importação do francês na arquitetura, nos costumes, na moda, na vida. Sintonizado por essa vontade, Pereira Passos, implantou dois Teatros de Guignol e seu sucessor, Francisco de Souza Aguiar, mais três na nossa cidade: Mourisco, Saens Peña, Copacabana, Beira Mar e Jardim do Méier. O que era mambembe, virou oficial.
O Teatro de Guignol surgiu em Lyon na França em 1804, em conseqüência da Revolução Francesa e a crise de desemprego, sendo idealizado por Laurent Mourguet com o intuito de divertir e divulgar sua atividade de arranca dentes. A personagem Guignol não existia e sim o Polichinelo que afrancesado, em 1820, chamou-se Guignol, sendo usado como um veículo de informação dos acontecimentos cotidianos, sempre com muito humor...

Mas o grande responsável pelo desenvolvimento desta atividade foi o empresário português Arnaldo Gomes de Souza que obteve o reconhecimento de Pereira Passos que permitiu o arredamento desses espaços municipais para atividades de diversão. O sucesso foi tanto que à época a cervejaria Brahma teve interesse em se associar, fazendo uma parceria para divulgar seus produtos diante da tradicional demanda por vinhos, promovendo assim apresentações gratuitas de teatros de bonecos e de variedades. Mas nem todos tiveram a mesma sorte de um patrocínio, como o de Botafogo que cobrava 200 réis por ingresso.
Poucos registros encontram-se em arquivos nacionais, e somente o Guignol da Tijuca tem uma foto registrada com data, feita por Augusto Malta em 16 de agosto de 1927"

-Nunca que iria saber que o Teatro Guignol existiu e ainda existe no RJ. Ficava com a pulga atrás da orelha com o estado de um teatro de bonecos que tem na Quinta da Boa Vista, uma estrutura linda, com uma placa fazendo referência ao Prefeito Pereira Passos e o resto só desolação.. Soube pelo Sr. Carlos Henrique , presidentete da "Associação Rio de Teatro de Bonecos", que aquele teatro foi restaurado mas com materiais de péssima qualidade e que está todo depredado novamente.
O próprio projeto que foi reiniciado em 2008, está agora prosseguindo as duras penas sem verbas condizente. É... é  para  ficar zangado mesmo.
-Bem, vou continuar no rastro desta história...

Só para se ter uma idéia veja os endereços aqui no RJ:
Teatro de Guignol Quinta da Boa VistaQuinta da Boa Vista, s/n - São Cristóvão

Teatro de Guignol Jardim de Alah Praça Paul Claudel, s/n - Ipanema

Teatro de Guignol Jardim do Méier Praça do Jardim do Méier, s/n - Méier























Este teatro de Guignol do Meier
Teatro de Guignol Tijuca Praça Xavier de Brito, s/n - Tijuca
No seu passado:




















Hoje:


















Teatro de Guignol GamboaPraça Coronel Assumpção, s/n - Gamboa

- Ainda indo nos rastro desta história, descubro que em Botafogo ao lado do Pavilhão Mourisco tinha um teatrinho de Guignol.


Vou continuar pesquisando sobre o tema, não deixe de acessar a página:
Está aí um bom tema para fotografar, quero ver se encontro neste fim de semana o da Gamboa.

FANTOCHES E MARIONETES

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Fantoches e marionetes





















Minha cabeça só está para isto atualmente, quem quiser ver detalhes é só acessar a página fantoches e marionetes, estarei sempre postando algo novo que vou encontando ou fazendo.
Gostei deste vídeo de fantoches de mão, de uma companhia francesa:

sábado, 5 de junho de 2010

Passo a passo da massa de jornal


Massa de papel jornal


-Coloquei a mão na massa: reaproveitei uma farrafinha de vinagre galo. Já tinha papietado uma garrafa de vinagre uns tempos atrás e como sempre acontece comigo vou iniciando umas coisas e acabo deixando de lado. Desafiei-me a usar esta massa.


1- Embalagem papietada com jornal ;
-Lembro-me que foi a primeira que fiz e não tinha noção de nada ainda. Emporcalhei meu liquidificador, quase queimei. Não precisa nada disto, tudo pode ser feito à mão.
Esta massa é ótima quando se quer dar um acabamento mais rústico. Para trabalhar uma oficina de papel machê com crianças, fazer fantoches, vasinhos, pratos decorativos, tigelas. Tudo quanto sua imaginação desejar.

Eu apanho do material mas não desisto! Os peitos cairam colei novamente. Pode crer! Vai sair uma baianinha estrelada, como de uma revisa de cabaça que tenho aqui.
2- Peça revestida com a massinha de jornal, secando na janela. Acredite! Vai ficar uma linda menina. Neste ponto já vou pensando num nome... Estela é claro!
Para um trabalho que exija mais detalhes, de pequenas dimensões e vou na massa com papel higiênico ou o mix que vem pronto como o da Acrilex ou do Mago. Falarei mais sobre estas massa mais adiante.
Como a finalidade deste blog é mostrar minhas aventuras na reciclagem de materiais com o papel machê, então vamos deixar a imaginação correr solta.

-Queimei a peça com tinta branca...



















-Et voilà Estela!



















Não acrescentei nada e nem lixei. Um bom exercício.

Algumas observações sobre este trabalho:
1- Como já estou fazendo os cachepots tive a maior surpresa hoje ao fazer a massa de jornal;
2- O jornal que preparei ficou dois dias de molho, coloquei até vinagre de limão e troquei a água algumas vezes para não apodrecer;
3- Sovei  a massa bastante como faço com o mix ou com o papel higiênico, misturado com a cola de polvilho doce;
4- A massa ficou com a consistência igual das outras massas;
5- Ficou seu um grânulo;
6- A boneca ficou boa, amei fazer, mas agora já sei o ponto da massa.



VEJA TAMBÉM ESTE PASSO A PASSO:
cachepots com a massa de jornal


Um abraço e faça também!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Aprender sempre! Lutar!




"Sempre vivi de olho aceso, assuntando, querendo entender. Assim é que aprendi : observando... Aprendi escutando sabedorias alheias e conferindo. Li, também, muito almanaque e revista e fui guardando na cabeça o que prestava...
Conheci muita gente considerada sábia e quis aprender com elas. Não deu certo. Os sábios são muitos minuciosos. Cada qual sabe lá sua coisinha e ignora todo o resto. E o resto é o mundo"
Darcy Ribeiro
-Olha o recadinho:

Concorda?

terça-feira, 1 de junho de 2010

Novos projetos e minha vida de interneteira

Junho trás novos projetos. Estou gostando da forma em que estou encaminhando este blog. Aqui tem muito dos meus experimentos com papel machê. Percebi que tenho um resistência enorme em acompanhar paps. Acabo sempre fazendo as coisas da minha maneira. Isto em si não é ruim, mas eu acabo apanhando em coisinhas que poderiam sair bem melhores. Mas como só se aprende fazendo, criei uma página mostrando a maneira que faço para aprender.






Comecei com os cachepots. Testei a massa massa de jornal sugerida por Maria Amora, de um vídeo que encontrei no you tube. 






O desafio artístico tema do mês de junho: O Circo. Mais um bom exercício!
Leia mais: